Mês: março 2020

Vacinação contra gripe em Porto Alegre

Antecipado o calendário de vacinação contra a gripe!
A vacina não imuniza contra o coronavírus, mas impede a superlotação em hospitais. Confira as datas:
23/05 – Idosos e profissionais da saúde;
16/04 – Professores e profissionais de segurança e salvamento;
09/05 – Crianças de seis meses a seis anos de idade, pessoas com 55 anos ou mais, gestantes, mães no pós-parto, população indígena e pessoas com deficiência.

Corona Vírus: Prevenção & Informação

Como sempre trabalhado por nós, no mandato, a prevenção é o fundamento!
Eis que agora os atos preventivos são os que irão definir como nosso sistema de Saúde absorverá o coronavírus. Isso, pois, como todos devem estar acompanhando, evitando um pico de casos, conseguindo espaçar a manifestação, ou seja, achatar a curva da epidemia, não teremos sobrecarga nos atendimentos e uso de leitos.
E, principalmente, proteção os grupos de risco. Empatia.
A mim, a ti, poderá se manifestar somente uma gripe, mas em quem está ao lado de nós, talvez não!
Por isso, primeiro: PREVENÇÃO!
Segundo: INFORMAÇÃO E NÃO SUPOSIÇÃO!
Tudo que divulgarmos aqui são informações confiáveis e medidas adotadas validadas pela secretaria de Saúde.
Tendo dúvidas, pergunte! Nos envie mensagens! Compartilhem informações seguras e adotem procedimentos preventivos!
E, a cada nova medida adotado pelo município, divulgaremos.

Vírus
A preocupação, com relação ao que já enfrentamos anteriormente, com o H1N1, é que a transmissão é 68.5% mais rápida e o vírus permanece mais tempo “vivo” em objetos.
Sim, ele irá chegar com força entre nós. É uma pandemia. Ainda não há vacina e, incluindo tempos necessários de testagem, devemos demorar para tê-la.
Porém, não devemos nos alarmar, o seu índice de possíveis complicações está relacionado aos grupos de risco. Logo, ele foi enfrentado em casa, sem complicações, pela maioria da população.

Desafio
Não gerar o caos. Não é necessária uma corrida para abastecimentos de alimentos ou, não tendo sintomas, ir aos serviços de Saúde.
Nosso desafio é a PREVENÇÃO para evitar picos de transmissão e sobrecarregar o sistema de Saúde, que deve estar disponível para os casos de risco.
“Achatarmos” a curva da epidemia, ou seja, espaçar a manifestação, evitando um grande pico.
E, principalmente, proteção os grupos de risco. Empatia.
A mim, a ti, poderá se manifestar somente uma gripe, mas em quem está ao lado de nós, talvez não!

Sinais e sintomas
Febre, calafrios, dor de cabeça e/ou no corpo, pode apresentar diarreia tosse ou secreção nasal.

Medidas preventivas
Lavar as mãos várias vezes ao dia com sabonete e água;
Utilizar álcool gel;
Não compartilhar utensílios (copos, talheres, chimarrão, toalhas, bebedouros e objetos pessoais);
Ao tossir ou espirrar, proteger boca e nariz com lenços ou papel descartável e, após, higienizar as mãos;
As máscaras cirúrgicas só devem ser utilizadas para quem apresenta sinais de gripe. Se não é seu caso, não utilize, não dissemine o medo e a informação inadequada;
Mantenha os ambientes bem ventilado;
Evite aglomerações, locais com grande concentração de pessoas.

Grupo de risco
A partir dos 50 anos;
Diabéticos;
Hipertensos;
Pessoas com problemas no coração;
Asmáticos;
Doentes renais;
Fumantes, que têm o pulmão mais prejudicado por causa do cigarro.

Atendimento de saúde
Informações/orientações e notificar casos suspeitos: Vigilância em saúde, disque 156;
Pessoas que devem procurar postos de saúde: as que apresentam febre, tosse e dificuldade em respirar e voltou do exterior nas duas últimas semanas, ou estiverem em contato com alguém que retornou do exterior.

Ingresso Solidário: Nossa contribuição faz a diferença!

Além de prestigiarmos eventos, com desconto, o Ingresso Solidário nos possibilita beneficiar diretamente entidades e associações. A Associação de Moradores da Vila Tronco e Arredores (Amavtron) recebeu UMA TONELADA de alimentos não perecíveis, na última sexta-feira, durante evento no Araújo Viana, produção Opinião!

A todos que participaram da ação, seja levando seus alimentos, aos que nos auxiliaram na logística de entrega, ao apoio do presidente da Associação e seus membros, transformando em um grande ato, o sorriso de quem recebe: 

A Associação de Moradores da Vila Tronco e Arredores (Amavtron) foi criada há mais de três décadas com o intuito da associação é auxiliar mães e pais, atendendo as demandas com a comunidade e desenvolvendo atividades direcionadas para as mais de 350 crianças e adolescentes em sua instituição.

O ingresso solidário é uma ação promocional das produtoras de evento que, por tempo determinado, vendem a entrada a um preço promocional desde que no acesso ao evento um item complemente a entrada: como um alimento, agasalho ou material que beneficie a instituição a qual a arrecadação será destinada.

As produtoras ganham com antecipação de confirmação de participantes no evento, a sociedade com contribuição a uma causa e as entidades em doações.

Decerto que não seria fácil; mas, não imaginei que tão difícil tal decisão

Só tive a certeza quanto ao encaminhamento, hoje, com a abertura da janela partidária, da minha desfiliação do MDB quando, revisitando ensinamentos de geração para geração, ficou claro que é chegado o momento de uma nova história e que esta jamais desfará nenhum laço construído até hoje.
Além da admiração aos que trabalham voltados à coisa pública; a crença de que um trabalho justo, republicano e árduo se converte em um país mais equânime; eu, também, aprendi com meu avô e pai a construir partido e elevar bandeiras, assim como eles fizeram nas última décadas, percorrendo o RS.
Logo, me despedir da sigla deixa uma dor, mas, me renova a continuar a jornada dos Mendes Ribeiro na construção de coletivos e fortalecimento de linhas programáticas em um outro espaço, que me foi aberto pelo trabalho diário e confiança; que me sinto bem-recebido e em consonância com os valores que me foram passados, como as liberdades públicas fundamentais, a descentralização, a proteção ao cidadão e a desburocratização.
A mesma luta dos Mendes Ribeiro e a nova história, construída pelo Pablo, prosseguem, em um novo espaço.
Saio entre e com amigos, desejando vitalidade a chama emedebista e sempre parceiro daqueles que, acima de tudo, trabalham pelo todo.
Agradeço ao Democratas pela valorização, confiança e carinho ao receber a mim, a nossa equipe, ao nosso trabalho e história.

Transporte público: nem tanto ao céu, nem tanto à terra

O pacote de projetos visando a diminuição do valor da passagem do transporte público, encaminhado pela prefeitura, que agora ganha o devido e merecido destaque nas discussões que vão das paradas de ônibus à tribuna da Câmara de Vereadores, coloca o assunto onde ele precisa estar: na boca
de todos. Não é dessa gestão, e nem da anterior, a problemática, já conhecida como o estopim dos movimentos dos “20 centavos”. E, continuará sendo – o mesmo número de anos que nos fizeram chegar até aqui, serão os necessários para a resolução. Primeiro, pois é um ciclo que se retroalimenta. A insatisfação do usuário pela qualidade, a troca por outro modal, o tempo aumentado da viagem casa/trabalho, reduzem os passageiros pagantes que, por sua vez, numa relação direta, faz a passagem aumentar, visto que, cada vez menos usuários mantêm o sistema rodando.
Não é à toa que somente os pagantes não o sustentam. E, não é só aqui, é nas demais capitais, é no mundo (adotam fontes de financiamento diversas,
unindo governo, usuários e empresas).
Segundo, por escolhas políticas e econômicas, nosso país optou por investimentos que priorizaram o transporte privado, barateando carros e motocicletas, desonerando o setor automotivo, propiciando taxas abaixo da inflação. Enquanto isso, a passagem subiu, em 10 anos, 60%. Em 2018, segundo pesquisa do IBGE, a despesa com transporte ultrapassou a relativa à alimentação, entre as famílias. Atrás disso, só a habitação.
Gastamos mais para nos locomover do que para comer. São poucas as iniciativas de recursos extratarifários. Em São Paulo, 20% do subsídio é do município e estado, uma exceção. Já vi projetos em que as políticas sociais setoriais arcariam com as gratuidades. Por exemplo, o Fundo Nacional
da Educação para o transporte dos estudantes. E, alguém pagando a conta da gratuidade, diminui para o pagante (que hoje arca com ela).
Não haverá uma única solução, mas um conjunto de ações. E, seja qual for, precisa seguir o rumo do diálogo entre cidadão, empresas, legisladores,
em espaços de discussão (seja nas paradas de ônibus, seja no plenário).

*Publicado no Jornal do Comércio, dia 04 de março de 2020.

PACOTE DO TRANSPORTE PÚBLICO EM PORTO ALEGRE! Parte 3

Continuando…
Projetos do pacote do transporte público e ABERTO À LEITURA ATENTA DE TODOS OS COMENTÁRIOS:

PLCE n° 2/20 –Taxa de Mobilidade Urbana

 – Cria a Taxa de Mobilidade Urbana (TMU) a ser paga (R$ 116,00) por TODOS os usuários EFETIVOS e POTENCIAIS do serviço de transporte público coletivo;

– Abrangerá todos os empregados vinculados às pessoas jurídicas empregadoras com sede, filial ou qualquer estabelecimento em POA (serão emitidos cartões passe-livre aos empregados);

* Se o empregado morar fora de POA, o empregador deverá, além de pagar a TMU (independentemente se ele usa ônibus em POA), pagar o vale-transporte para a condução até a cidade onde reside.

– Os estudantes pagarão 50% do valor TMU;

– O empregador é responsável pelo recolhimento do tributo (dia 20 de cada mês subsequente);

* O projeto diz que a TMU é devida pelos USUÁRIOS, tendo como responsável tributário pelo recolhimento o empregador. Quem garante que ela não será descontada pelo empregador da remuneração do empregado??

– Os demais usuários do transporte público (por exemplo, profissionais liberais, desempregados, etc.) também pagarão a TMU, quando utilizarem o transporte coletivo, podendo pagar a taxa de forma antecipada ou quando da utilização dos serviços;

* Nesse ponto, verificamos um possível problema de redação, não está claro qual o valor que esse usuário pagará se a tarifa (que hoje é de R$ 4,70) ou a TMU (R$ 116,00) – que seria temerário, visto que o usuário pode usar o coletivo poucas vezes no mês para pagar a totalidade.

Continuando… PACOTE DO TRANSPORTE PÚBLICO EM PORTO ALEGRE!

Projetos do pacote do transporte público e ABERTO À LEITURA ATENTA DE TODOS OS COMENTÁRIOS:
PLCE n° 1/20 –Tarifa de Congestionamento

* Cria a cobrança de tarifa de congestionamento (mesmo valor da tarifa de ônibus) para veículos emplacados fora de Porto Alegre que ingressem pelas vias e nos horários especificados em decreto;

* A tarifa não será cobrada nos sábados, domingos e feriados;

* Os recursos obtidos serão destinados, exclusivamente, para o custeio do transporte público municipal (para abater da tarifa de ônibus).

Scroll to top