Mês: maio 2020

Vitória da celeridade!

Na sessão virtual desta quinta-feira (14/5) foi aprovado o ajuste ao Procedimento legislativo conforme a proposição dos integrantes da Comissão de Constituição e Justiça. Nas palavras do vereador e vice-presidente da comissão “o Projeto impede a tramitação de projetos inconstitucionais, nesse período, em que a CCJ é a única comissão a dar parecer prévio às votações”, disse Mendes Ribeiro.
Antes, as proposições não ingressavam na Ordem do Dia apenas se tivessem parecer unânime pela existência de óbice – quando há inconstitucionalidade, ilegalidade, inorganicidade (viola a Lei Orgânica Municipal), ou afronta o Regimento da CMPA.
Agora, se receber parecer contrário com unanimidade de votos, o projeto será arquivado; se receber parecer contrário sem unanimidade de votos, o projeto irá tramitar pelo regime normal da Câmara, sendo analisado por outras comissões após o retorno  das atividades legislativas presenciais; e, em caso de empate de votos, a proposta seguirá para a Ordem do Dia.

Olhando além…

Agora, passado o impacto do primeiro mês de isolamento, em que a cada dia entendemos mais o vírus e nos organizamos estruturalmente para aplacar suas consequências, precisamos saudar o porto-alegrense e aprender a valorizá-lo.
Em meio a essa falta de insumos na área hospitalar, no mundo todo, vemos o ESTÍMULO e VALOR à produção local. Muito do que buscávamos no mercado de fora, está sendo feito aqui.
O pequeno empreendedor, ABRAÇADO com outro, está produzindo aqui. A expertise de um, adaptada, sendo complemento a do outro, criando e fomentando uma CADEIA PRODUTIVA que não tínhamos.
Porto Alegre prova que não é somente a capital do serviço, do comércio, do turismo empresarial, mas, também, produtora e fomentadora da indústria.
Tivemos diversos exemplos, demonstrados pela pandemia, como o TecnoPUC, com produção de EPIs (enquanto falta no mundo), válvulas e componentes para respiradores e cápsulas para o atendimento; startups desenvolvendo testes rápidos; impressoras 3D fabricando peças de ventiladores; fábricas fazendo protetores faciais; e tantos outros que acompanhamos..
Somos importadores de produtos prontos, mas não precisamos ser.
No momento em que estivemos nas mãos do mercado mundial, ele falhou, não nos priorizou; já o local, se adaptou e nos atendeu.
Estimular o pequeno, o nosso, é fornecimento para capital e Estado sempre, com renda que aqui fica.
Foi a padaria do bairro, a pizzaria da esquina e o mercadinho que nos atendeu. Assim como, a INDÚSTRIA e INOVAÇÃO de Porto Alegre quem “segurou as pontas”.
Nossa retomada de empresas e empregos, certamente, passa por aí: pelo local, pelo NOSSO!

Scroll to top