MP cobra explicações sobre gastos com UTIs

Matéria de hoje corrobora nosso pedido de informações, protocolado há mais de 10 dias.
Um dos quesitos que nos classifica como bandeira vermelha (COMÉRCIO FECHADO) é a disponibilização de leitos. Pois bem, o detalhamento das despesas nos mostra que estamos dispondo deles SOMENTE à medida que a NECESSIDADE aparece, mas recursos pra ampliar temos. Ou seja, poderíamos ter um período maior DE ATIVIDADES ABERTAS com estes leitos previamente.
As pessoas não podem ser penalizadas pelas decisões políticas de prioridades.
Ao analisar os quadros do detalhamento, tendo por base o valor solicitado de R$ 102,4 milhões, a relação das despesas previstas, com as efetivamente contratadas e as que foram concretamente realizadas, me atenho então a despesa de “Custeio de ampliação de serviços hospitalares”.
Há mais de R$ 21 milhões em caixa, dos governos Federal, Estadual e de emendas parlamentares. Há pedidos de liberação (dentro desse valor) para criação de 20 leitos de UTI no Hospital Vila Nova (R$ 3 milhões); ampliação na Santa Casa (R$ 8,9 milhões) e UTI-COVID no Pavilhão Pereira Filho da Santa Casa (R$ 3,5 milhões).
Dinheiro liberado, em caixa, mas não foi contratado ainda!